sexta-feira, dezembro 30

Um ano à parte

Prefiro dizer que 2011 foi um ano à parte. Não foi um ano muito tradicional. Prefiro dizer que as máximas se concretizaram. Prefiro imaginar que elas não podem ser superadas, se toda máxima for verdadeira, então realmente o mundo acabará em 2012. Ainda bem que 2011 acabou, ano desgranhento, sem nada de bom. Ah sim, as máximas: Nada é tão ruim que não possa piorar E todo castigo para corno é bobagem. Por favor, Deus Cana, sou um súdito tão fiel!!!! Faça-me menos corno esse ano, não piore mais, não dá! E mate de pestilência o corno que me fez vodu e todas essas mandingas. A ti ofereço um White Russian e uma cana do Seu Jaime. Amém.